27 de julho de 2017

Privilégios para Smart...

Ontem fui ao El Corte Inglês com o meu pai, qual o meu espanto quando no parque de estacionamento encontrei quatro lugares reservados unica e exclusivamente para Smart.
Não vou negar achei a maior das piadas e achei muito interessante e um ato querido terem pensado em tal coisa.
Mas claro como em tudo na vida existem sempre os chicos espertos.
Ora naquele local cabiam quatro smarts, eu ocupei a minha posição mas por exemplo o smart da frente em vez de ocupar um lugar ocupou dois, por estupidez claro.
Pior ainda foi quando vim para o carro e um/uma cromo/a qualquer de seat resolveu ocupar os lugares destinados a smart, ou seja eu saindo só ia ficar um lugar para smart porque o/a artolas do seat ocupou os outros três lugares... ai que vontade que eu tive para lhe deixar um post it no vidro a perguntar se ele/ela não sabiam ler.
Alias esta bem explicito, ora vejam lá.



26 de julho de 2017

E por falar em ciganos...

É só para dizer que eu convivo quase diariamente com 5 tipos de ciganos diferentes.
O A. que foi expulso da clínica de diálise era e é o mais reles de todos, mal educado, porquinho quanto baste e gosta de ameaçar tudo e todos, por acaso a mim nunca o fez sempre me falou com muito respeito, eu acho que ele entendeu bem que eu adoro brincar mas que se tiver que me passar da cabeça e o mandar para o raio que o parta que o fazia, logo comigo o fulano nunca abusou.
A F. 1 que é o poço da falta de educação uma pessoa diz "Olá" e nem uma nem duas... depois dizem que são descriminados eles auto descriminam-se... também é um misto do A. sujinha quanto baste.
O Sr. M. já com uma idade, mas atenção com uma educação e uma limpeza que deixa muita gente a desejar ser igual, admiro o homem, sem qualquer dúvida, pode ser cigano mas ninguém consegue ser melhor do que ele no que respeita a educação e a limpeza. Ainda ontem o encontrei no hospital e como faço sempre que o vejo, fui cumprimenta-lo, não tenho nenhum problema com isso, seja de que raça seja. 
A F.2 outra jovem cigana que teve apenas o enorme azar de ter nascido na raça cigana, a miúda tem um pensamento e uma forma de falar muito à frente, nem parece que vive  num âmbito de família ciganas, é contra todas as tradições e pormenores que a vida cigana assim impõem.
A C. é das auxiliares do hospital, mais competente, profissional e meiga que eu conheço, também é cigana, nunca o escondeu, mas como eu costumo dizer é uma cigana fantástica, adoro a maneira dela ser e a dedicação ao seu trabalho, ela fugiu aos padrões típicos das ciganas, tem um emprego, cumpre horários, trabalha com muita gente e é extremamente competente. 
Como podem ver tudo vai daquilo que cada um é e o que quer para a sua vida.
Convivo com frequência com estas pessoas de raça cigana que acabei de referir e nunca fui maltratada, nem nada do gênero, alias admiro a maior parte deles.
Agora se me vieram falar dos ciganos que me vem tocar à campainha a pedir, dos que de vez em quando me roubam o pão, bem aí a conversa já é diferente.
Não lhes acho a minima piada, sempre que tocam á campainha sou obrigada a passar-me da cabeça então quando me roubam o pão só me dá vontade de lhe enfiar a vassoura pelas costas abaixo.
Odeio quando falam aquela lengalenga que ninguém entende e só quando querem e lhes apetece é que sabem falar o dialecto normal... como isto me enerva.
Lá esta, sejam ciganos, negros, albinos, brancos, cor de rosa, às pintinhas... existe de tudo em todas as raças, por isso não é nada bonito estarmos a julgar todos por igual, se alguns são malandros e não querem nada, existem outros que até têm uma vida normal como muitos de nós.

25 de julho de 2017

Hoje foi dia de cardiologia...

E segundo o senhor doutor, além de estar "com muito bom aspecto" palavras dele, o ecocardiograma que fiz esta tudo dentro dos limites possíveis, as válvulas que foram substituídas estão bem e esta tudo direitinho... ainda bem, fico muito feliz que tudo esteja bem.
Continuo é com as tensões um bocadinho baixas, mas eu já estou habituada e agora como o calor cada vez pior, só tenho que ter um bocadinho mais de cuidado com isso.
Estou muito contente por estar tudo bem no que diz respeito à parte cardíaca.
Agora vou mas é arranjar as minhas coisinhas que daqui a pouco são horas de ir para o tratamento.  

23 de julho de 2017

22 de julho de 2017

Vai ser bonito, vai...

Desde hoje que vou ficar a tomar conta da gata do meu irmão, que ele foi de férias.
Ao almoço desci o andar e fui vê-la, ela bem olhou para mim com aquele ar de desconfiada e eu só lhe dizia "a titi vai ficar com a nina e a nina vai portar-se bem não vai?" e ela só esticava as orelhinhas e olhava para mim muito séria.
Vamos lá ver como vai ser este ano, porque os outros anos tem sido uma ramboia desgraçada. 

21 de julho de 2017

"A vinha do anjo" de Sveva Casati Modignani...


"Longas filas de videiras estendem-se pelas colinas suaves de Borgofranco. Há dois séculos que a família Brugliani é proprietária daquele antigo burgo e das vinhas, tratadas com paciência para delas extrair vinhos preciosos e únicos. Aos 35 anos, Angelica é a herdeira da tradição e do património familiar. Mãe, esposa, empresária de sucesso: tudo parece perfeito na sua vida. Só ela sabe que por detrás daquela fachada se esconde um mundo sombrio, feito de mentiras - as do marido - e de sonhos pueris. Numa noite, em que conduzia a sua moto e sentindo-se dominada pela amargura e pelas lágrimas, Angelica não se apercebe de que o carro à sua frente está a travar. O choque é violento, mas felizmente sem consequências graves, quer para ela, quer para o condutor do automóvel, Tancredi D'Azaro. Angelica não sabe ainda que aquele homem é um dos chefs mais aclamados em todo o mundo. E ambos ignoram que, depois daquele encontro fugaz, o destino voltará a entrelaçar os seus caminhos, suscitando a tentação de um novo começo. É então tempo de fazer escolhas, tendo em conta o peso do passado e as responsabilidades do presente - porque a vida é feita de sonhos e paixões. Vinha do Anjo conta-nos a história envolvente de uma família e de uma tradição milenar, o retrato de uma protagonista fascinante no qual se reveem muitas das mulheres empreendedoras e corajosas que anonimamente constroem as nossas sociedades."

Já á bastante tempo que não lia um livro da Sveva Casati Modignani e a verdade é que a mulher nunca me desilude.
Adorei a história, é muito interessante.
Gostei da história de Angelica mas adorei muito mais a história da vida de Tancredi D'Azaro.
Não vou negar que pensava que a Angelica ia ficar com o Tancredi D'Azaro, mas pronto entendo perfeitamente o ponto de vista da escritora quando explora a parte de refletirmos sobre os problemas da vida e da questão de darmos ou não uma nova oportunidade.
Este livro fala muitas vezes de comida e eu tenho que dizer que em muitos momentos fiquei com fome e com vontade de experimentar aqueles pratos.
Este livro quando chegou ao fim deixou-me com uma sensação de boa disposição e muito bem disposta.
Foi uma história linda... adorei, além de que se lê num instantinho apesar do livro ser grande, sei lá pegou-me o entusiasmo como já não acontecia à algum tempo. 

20 de julho de 2017

Será moda?

Não sei o que se passa por estes lados, mas de à um mês para cá só se houve que fulano e fulana estão separados.
Sejam namorados, casados à pouco tempo e até casos de pessoas com os seus sessenta e tais anos.
Deixa uma pessoa a pensar "será que esta a pegar moda esta coisa de se separarem assim sem mais nem menos?"... eu não sei mas pelo andar das coisas esta a parecer que sim.
Todos sabemos que os relacionamentos e a vida em comum não é um mar de rosas, mas também desistir de tudo assim de repente, leva-me a pensar, ou aconteceu algo de muito grave ou então chegou o momento da saturação e do cansaço... que foi o que aconteceu no meu caso com o meu ex namorado.
Quando são jovens namorados ou casados à pouco tempo, de um certo modo parece normal apesar de ser triste, agora quando são casais assim já bastante antigos deixa uma pessoa um pouco admirada.
É a vida, mas que parece que aqui para os meus lados isso é uma moda, ai isso parece, como eu digo em tom de brincadeira "cuidado que isso apega-se".

18 de julho de 2017

Queria tanto...


Parfois 12.99€

Este porta moedas esta tudo perfeito, cor, tamanho, tudo...


 Parfois 21.99€

Esta  mochila igualmente cor e tamanho também me agradam.

Apesar de achar os preços acessíveis a verdade é que além de ter bastantes carteiras, não me convinha gastar dinheiro nestas coisas, mas conhecendo a minha pessoa como conheço e sendo uma sisma pior que uma doença, um dia destes vou cair em tentação, mas pronto.

17 de julho de 2017

Finalmente...



Estava a ver que não.
Ultimamente tenho visto os episódios anteriores, em forma de relembrar digamos assim.
O meu pai diz que eu vou ficar tola... ah ah ah... que só vejo porcaria... diz ele que não se alapou a ver um episódio comigo, porque se visse ficava viciado, se bem que eu fiquei viciada primeiro com os livros. 

Estou ansiosa, vamos la ver como vai ser a 7ª temporada.

15 de julho de 2017

Em busca de uma cicatriz bonitinha...

Tal como vos contei eu fui operada ao braço a 30/12/2016... embora já tenha sido operada pelo menos três vezes antes desta operação.
As coisas não correram muito bem, ou seja a cicatriz não fechava por causa da prótese que tinham colocado
Na altura criou uma espécie de fibrina e foi preciso limpar muito bem e voltar a cozer.
Acontece que depois de tirar os pontos ainda estava bem pior, com muito mau aspecto e com muita mais fibrina... eu tenho fotografias, era para as colocar, mas são um bocadinho nojentas e eu não quero que ninguém fique impressionado nem indisposto.
Depois limpou-se muito bem a fibrina novamente e resolveu colocar-se o pico, aquele aparelhinho que eu já falei aqui no blog.
A verdade e que os resultados foram bons, mas no local da prótese, continuava sem fechar.
Infelizmente e para meu grande azar a solução foi mesmo tirar a prótese, logo tive que ser novamente operada no dia 07/06/2017.
Confesso que fiquei um bocadinho com medo pois pensei que ia ficar com o braço num estado muito feio, mas a verdade é que depois de tudo o que aconteceu, até fico muito bonitinho como eu costumo dizer.
Ora vejam lá...
É lógico que ao vivo nota-se um bocadinho mais vermelha, mas esta muito bem até.



Sei que tenho que ter certos cuidados e se existe coisa em que eu ando mesmo vocacionada é que fique uma cicatriz minimamente bonita.
Logo tenho colocado estes três produtos que me recomendaram: creme emoliente reparador da barral, bio-oil e o cicalfate da avène e quando vou apanhar sol, coloco protector solar 50+ mineral o meu é da avène também, que é para criar aquela barra protetora para não deixar o sol estragar a cicatriz.
Vou intercalando os cremes e o bio-oil e a verdade é que esta com bom aspecto.
Agora é continuar com os produtos e ver se fica mais disfarçada.



13 de julho de 2017

"The devil's mistress"...




Este filme mostra uma atriz ambiciosa Lída Baarová, interpretado por Tatiana Pauhofova que resolveu seguir os seus sonhos em Berlim antes da segunda guerra mundial. A sua mãe Mrs. Baarová, interpretado por Simona Stasova, apoia totalmente a filha a seguir o sonho de atriz uma vez que ela não o conseguiu fazer, logo projeta todas as suas ambições na filha. Inicialmente Lída Baarová tem uma relação com Gustav Frohlich interpretado por Gedeon Burkhard, um dos atores mais conceituados e conhecidos naquele tempo. Mas tudo leva um enorme volta quando Lída Baarová se torna amante de Joseph Goebbels, interpretado por Karl Markovics o numero um de Hitler. 
Goebbels tem família constituída mas mesmo assim torna-se amante de Lída.

O filme é interessante apesar de ser um pouco grande.
Pessoalmente gostei, fui assim um pouco as "apalpadelas" não fazia minima ideia do que se tratava, mas sinceramente gostei.
Achei muito engraçado os pormenores das roupas e tipo de vida que viviam nesse tempo.
É um bom filme.

12 de julho de 2017

Não tenho culpa de ser assim...

Eu sou uma pessoa inconstante.
Tanto estou bem disposta como de repente fico mal disposta, reconheço isso.
Tem dias que só de olhar para algumas pessoas fico logo indisposta.
Não me culpo por isso, porque se existe gente que é capaz de iluminar os meus dias existem outras que o simples olhar transformam em trevas.
Como estou farta desse tipo de gente.
Como me enche e me cansa o pensamente só o olhar de algumas pessoas.
Tem dias que eu digo para mim mesma que quero ser melhor pessoa, quero ter mais calma, ser mais solidária, mais compreensível, mais humana, mais eu, mas infelizmente não podemos ser assim com toda a gente, porque existem pessoas que abusam do nosso lado bom, pessoas que fazem de tudo para nos deixar indispostas e mal humorados.
Esse tipo de pessoas cansa-me e se existe coisa que eu não preciso na minha vida é delas... quer sejam próximas, quer não me sejam nada.
Eu preciso de gente bem disposta, de bem com a vida, de sorrisos fáceis, de coração cheio e pensamentos alegres, de gente a sério... como tantas pessoas que eu conheço... as outras bem, as outras podem ir andando, agradeço imenso a vossa amabilidade em quererem estragar os meus dias, o meu bom humor ou o meu raro e simples sorriso, não preciso de vocês para nada, nada mesmo.


11 de julho de 2017

"O outro homem e outras histórias" de Bernhard Schlink...


"Parecia que estava tudo dito sobre o passado da Alemanha até que Bernhard Schlink escreveu O LEITOR (publicado pela ASA nesta mesma colecção), que se converteu rapidamente num bestseller mundial. Agora, neste seu novo livro, o autor demonstra-nos que tão-pouco está tudo dito sobre o amor. 
Um casal de Berlim Oriental recorre à traição com o objectivo de salvar o casamento. Um estudante alemão em Nova Iorque apela a meios pouco convencionais para demonstrar o seu amor por uma judia americana. Um ex-progressista aburguesado vive entre os trilhos sinuosos do seu casamento liberal. Em todas as histórias, o amor como atracção e fuga: os desejos reprimidos, os mal-entendidos involuntários, a infidelidade fruto do desespero, a força inexorável dos costumes e o peso da culpa. 
Como nasce e termina o amor, que subterfúgios são usados para iludir e desiludir? Em O OUTRO HOMEM E OUTRAS HISTÓRIAS, Schlink oferece-nos sete histórias de amor em que todos os protagonistas são, de algum modo, vítimas da sua época, uma geração urbana desorientada que cai uma e outra vez nas armadilhas do seu próprio passado."

Este livro contém 7 histórias: "a menina e a lagartixa"; "a infidelidade"; "o outro homem"; "ervilhas tortas"; "a circuncisão"; "o filho"; "a mulher da bomba de gasolina".
Todas as história têm o seu encanto e a sua lição, principalmente uma lição.
Mas aquelas que eu adorei mais foi sem dúvidas "o outro homem", "ervilhas tortas" e "a circuncisão"... foram estas as minhas eleitas.
Adorei a escrita, simples, fácil de entender, sem muitos rodeios e complicações logo faz com que o livro seja lido mais rápido e também é um livro pequeno.
Foi o primeiro livro do Bernhard Schlink que li e gostei imenso, muito interessante. 

7 de julho de 2017

Hoje não estou nos meus dias...

O que se passa eu não sei.
Apenas sei que hoje não em sinto grande coisa.
Estou esquisita.
Dormi mal isso eu sei.
Mas ando o dia toda com uma sensação de irritada sem entender bem o porque.
Não houve nenhuma situação para que isso acontecesse.
Já andei nas limpezas para desanuviar um bocado mas mesmo assim continuo inquieta e nervosa.
A verdade é que não gosto nada de andar assim, não gosto mesmo, mas pronto.

6 de julho de 2017

Para a minha amiga B...

Estes dias quando cheguei ao tratamento... na segunda... estava lá a minha amiga B... que faz tratamentos às segundas, quartas e sextas, logo só faço com ela às segundas... como sempre perguntei se estava tudo bem e conversamos um bocadinho.
Verdade seja que achei que os restantes elementos deste turno estavam todos a olhar para nós, mas confesso que ignorei afinal, para que dar valor a quem não o merece.
Quando a B. entrou um senhor disse-me o seguinte "ando aqui á 4 anos e nunca a vi ter assim uma conversa com ninguém a não ser consigo, alias não sei como se entendem uma vez que ela tem dificuldades em ouvir, mas ela tem um aperto de mão bem firme" eu olhei para o senhor e disse "ora aí esta o problema é que se calhar ela nunca falou com ninguém, porque ninguém fala com ela é simples... e ela tem problemas de audição sim, mas se falarem devagar e com calma ela entende e temos uma conversa normal como qualquer pessoa, como acabou de ver, é preciso é a gente adaptar-se as dificuldades das pessoas e ajuda-las, não apenas arrumar para o canto só por isto ou aquilo" o senhor ficou a olhar para mim e disse "realmente" e todos os outros ficaram a olhar
Eu gosto da B. independentemente dos problemas que ela tenha, adoro o sorriso e a boa onda dela, mesmo nos dias maus aquela miúda tenta não transparecer isso, se não conseguirmos conversar, escrevemos, existem muitas maneiras de comunicar, não apenas conversando, mas da-me a entender que existem pessoas que não se lembram destes pormenores. 
A B. é uma grande mulher não só por tudo o que já passou na vida e é das pessoas naquela clínica por quem eu tenho um carinho e admiração enorme e no que depender de mim eu jamais irei deixar de comunicar com ela, mesmo que chegue o dia em que apenas tenha que escrever eu irei faze-lo, mas jamais deixarei de comunicar com ela só porque sim ou por ela ter este ou aquele problema.

5 de julho de 2017

3 de julho de 2017

E este tempo hein...

Esta horrível... para mim claro que não me dou com o excesso de calor, agora para quem gosta e para quem esta de férias esta ótimo sem qualquer dúvida.
De manha fui ao Porto fazer um exame além de ter demorado mais de 30 minutos a atravessar a ponte, aquele para e arranca estava a dar-me um sono esquisito, só me apetecia fechar os olhos.
Quando lá cheguei a menina disse que o médico estava atrasado nos exames e que supostamente iria atrasar um bocadinho... ai esta noção de um bocadinho desta gente deixa muito a desejar... foram  2 horas de atraso e era só um bocadinho, as tantas lá me levantei e fui perguntar se tinha acontecido alguma coisa e lá levei a resposta tipica "só mais um bocadinho e é a seguir"... e lá foi.
O que vale é que o doutor era muito simpático.
Cheguei a casa mais parecia que tinha levado um banho de mangueira toda transpirada e mais parecia que tinha feito xixi nas calças... isso é impossível, pois eu já não faço xixi à uns valentes anos... lá troquei de roupa, passei o chuveiro e pus um vestido daqueles fininhos de andar em casa, mas daqui a nada lá vou eu outra vez para o calor, pois hoje é dia de tratamento.
Aii que eu não gosto nada deste excesso de calor, nada mesmo.

2 de julho de 2017

"Escritos Secretos" de Sebastian Barry...


"Roseanne McNulty tem perto de cem anos e é a doente mais antiga do hospital de saúde mental de Roscommon. O doutor Grene, o psiquiatra encarregado da avaliação dos pacientes, sente-se intrigado pela história daquela mulher, que passou os últimos sessenta anos da sua vida em instituições psiquiátricas. Enquanto o médico investiga, Roseanne faz uma retrospectiva das suas tragédias e paixões, que vai registando no seu diário secreto, desde a turbulenta infância até ao casamento que lhe prometia a felicidade. Quando o doutor Grene desvenda por fim as circunstâncias da sua chegada ao hospital, é conduzido até um segredo chocante. 

Um livro primorosamente escrito, que narra uma história trágica, fruto da ignorância e mesquinhez, mas ainda assim fortemente marcada pelo amor, pela paixão e pela esperança."


Sem dúvidas nenhumas que é um livro excelente.
Foi dos livros, mais belos, mais humanos e mais tocantes que li.
A história de Roseanne é bela, apesar do seu sofrimento ensina tanto e fez como que me sentisse calma, tranquila e deliciada.
É engraçado como o escritor Sebastian Barry entrelaçou a vida de Roseanne com a do doutor Grene.
Houve um momento no livro em que eu parei de ler, sorri e disse "não pode"... não vos vou contar como é lógico.. mas a verdade é que pode.
Tanta mestria e simplicidade neste livro, um livro fácil de ler, uma história maravilhosa, a sensação que eu tive a maior parte das vezes é que estava lá, que fazia parte daquela história, que a estava a viver de lado, simplesmente adorei.
Recomendo este livro é excelente... maravilhoso.

1 de julho de 2017

Olá Julho...


Sê bem vindo...
Houve alguém que me disse que o mês de Julho deste ano ia ser um mês de pausa e de sossego a nível de saúde, vamos ver se assim é... espero que sim nem que seja apenas que não aconteça nada de mais nesta área.
De resto já sabes é o que eu peço sempre, paz, sossego, calma, sorrisos e um pouquinho de felicidade à mistura.
Ajuda-me a ter um bom mês.
Ajuda-me a ser uma pessoa melhor... em todos os sentidos.
Ajuda-me a ter mais paciência.
Ora Julho ajuda-me em tudo o que me possas ajudar que eu ficarei eternamente grata... confia em mim.
Mais uma vez sê bem vindo. 


29 de junho de 2017

Existem livros magníficos...

E este "Escritos Secretos" de Sebastian Barry que ando a ler tem sido do melhor que existe.
Além de me deixar com a lágrimas nos olhos, tenho a sensação que me faz ficar mais calma e ao mesmo tempo mais feliz.
Estou quase a acabar e depois como é habitual darei a minha opinião completa, mas achei que devia dizer o que me vai neste momento no coração e na mente, afinal não é todos os dias que um livro, uma história nos deixam com uma sensação tão agradável. 

28 de junho de 2017

É que é fantástico...

Existem pessoas que têm o dom fantástico de me irritar profundamente.
A verdade é que se existem dias em que respiro fundo e ignoro, existem outros em que a minha verdadeira vontade era dizer o que tenho para dizer, mas infelizmente tento sempre travar-me, não vá as vezes no calor do momento dizer o que não quero, quer dizer, é mais dizer o que não devo.
E se existe gente que me tem tirado do sério, muitas vezes ultimamente é a minha família... quer dizer as minhas tias... estou pela ponta dos cabelo com aquela gente.
Eu bem respiro fundo para não me chatear, mas a verdade é que o simples olhar para elas já me começa a dar volta ao sistema... tanta falsidade junta e tanto apontar o dedo aos outros sem olharem primeiro para elas mesmas, para o que fazem e para o que dizem, mas não só sabem ver os defeitos dos outros.
Tenho evitado estar com elas e quando estou, respiro fundo umas quinhentas vezes e evito abrir a boca... é o melhor.

27 de junho de 2017

Finalmente...

Parece que finalmente a cicatriz do meu braço esta a querer fechar.
Ontem fui fazer o penso e esta com bom aspecto já tirei o aparelho, o pico, agora ando só com o penso.
Estou cansada de usar pensos neste braço tenho a pele toda estragada.
Fiquei muito triste por a minha fistula ter parado, caramba depois de tanto esforço, tanto trabalho, tivemos mesmo que a encerrar e isso nos primeiros dias foi um desgosto e uma tristeza do caraças.
Agora o médico vai analisar melhor os dois braços e ver se conseguimos fazer uma nova.
Eu não me importo de ter o cateter na pernas, que é por onde faço os tratamentos agora, mas tenho sempre algum receio, pois o risco de infecção é sempre muito maior, além de que tenho que ter muitos cuidados... não molhar, não fazer grandes esforços, não me magoar e por aí fora.
Sei bem que uma fistula dói mais durante os tratamentos, mas o risco de infecção é muito menor e além de ter que ter uma série de cuidados básicos estou mais livre.
Vamos ver, fé, confiança e esperança é o que devo de ter, mas nem sempre é assim.

24 de junho de 2017

"Labirinto"...



Não consegui encontrar o trailer deste filme para mostrar, este é mais um dos filme que aparecia no Netflix. 
Este filme é sobre uma grande explosão que se deu em Istambul.
Após esta explosão um grupo de elite turco começa a caça a um grupo de terroristas.
Muitos dos procedimentos deste grupo de elite não são bem aceites pelos Eua nem  pela Grâ-Bertanha.
Confesso que gosto imenso deste tipo de filmes, tem muita ação, suspense mas desta vez deixei escapar umas lágrimas em algumas situações... não pode ser estou a ficar muito lamechas, assim não dá.
Não conhecia nenhum dos atores deste filme o que na realidade ainda me prendeu mais ao filme.
Mas posso dar o nome de alguns: Timuçin Esen... caraças adorei o fulano, Meltem Cumbul... raio de mulher mais corajosa e bonita, Sarp Akkaya... confesso a última cena deste fulano deixou-me em lágrimas. 
É um filme um bocadinho grande mas vale bem a pena, pelo menos eu gostei imenso, apesar de não estar a contar com uma parte do fim que também me fez chorar... eu bem digo estou a ficar muito sentimentalista. 




23 de junho de 2017

Finalmente comprei umas havaianas...


Andava à anos e anos para comprar umas mas confesso que o preço sempre foi coisa que me fez desistir à ultima da hora.
Eu bem sei que é a marca e que temos que pagar o nome, mas mesmo assim achava um pouco elevado os preços.
Também dizia sempre que se comprasse umas seria daquelas com a tira atrás uma vez que eu não gosto muito de andar de chinelos.
E pronto no outro dia numa loja de calçado, na secção de criança encontrei este par em promoção... é o que dá ter um pé pequenino... este e umas em branco, mas quem me conhece sabe que eu não sou grande apreciadora do branco, por isso trouxe as pretas.
Lá fechei um bocadito os olhos ao preço, que mesmo em promoção achei que estavam caras, mas pronto.
Já as usei no domingo quando fui a casa da minha tia e realmente são muito confortáveis. 

22 de junho de 2017

Deve de ser gozo...


Lembram-se deste post Adivinhem lá?
Então, 31 dias depois saiu a data para ir fazer o exame.

Lá fui eu e adivinhem lá o que foi que aconteceu?
Pois, estavam de greve outra vez.
É incrível mas é verdade, da outra vez foi greve das auxiliares ontem era a greve dos técnicos.
Vim embora novamente sem exames e lá terei de esperar que me voltem a chamar, só espero que da próxima vez que lá vá não seja dia de greve, porque se for vai ser sagradinho que vou escrever no livro de reclamações, porque isto é gozar com as pessoas.
Estou farta destas coisas, bem sei que têm direito de lutar pelos seus direitos mas o que é de mais enjoa. 

21 de junho de 2017

"Tempestade de areia"...




Este filme passa-se no Sul de Israel.
Layla... Lammis Ammar... é uma jovem que frequenta a universidade e tenta tornar-se um pouco mais "moderna" ao aprender a conduzir e ter estudos.
Layla tem uma paixão secreta por Anuar... Jalal Masrwa...  que a sua mãe Jalila... Ruba Blal... não aceita.
Vemos também a história do segundo casamento do pai da Layla que é o Hitham Omari bem como o trauma e as dificuldades que a primeira mulher tem em aceitar o segundo casamento e a segunda esposa do marido.
Neste filme focam um pouco aquela história do pai arranjar o casamento para a filha, independentemente de ela querer ou não.
Neste filme podemos ver que existe uma vertente entre os valores religiosos e preocupação com a filha.
Existem coisas que eu nunca fazia ideia que existissem... tradições própria daquelas zonas.
Meteu-me um pouco de confusão o facto de após o segundo casamento o chefe da família desprezar tudo o que tinha a ver com o primeiro casamento e neste caso refiro-me às filhas, que chegaram a passar fome, enquanto que a segunda esposa vivia com todo o conforto quer nas instalações quer a nível de alimentação.
É um filme calmo, mas que me deixou a pensar imenso sobre as tradições que vão por esse mundo fora.
Neste caso Layla sacrifica-se para ajudar a sua família.

20 de junho de 2017

Factos...

*  No casamento do meu primo andavam aí a "cagar" que ia ter ceia Deus me livre que coisa e afinal de contas teve ceia teve, mas para ter o que teve mais valia não terem colocado ceia... feijão preto, batatas fritas e grelhado misto que era composto 99% de frango churrasco... ufff que ceia... imaginem se tivessem visto a ceia do outro casamento que fui, tombavam logo.
* A minha tia deixou de ir ao cabeleireiro que ia sempre foi a outra porque "é melhor e faz cada penteado" e vamos a ver e mais parecia que levava uma peruca enfiada na cabeça... eh pá esta gente não se enxerga mesmo.
* Estes dias mostrei as fotos dos casamentos a uma pessoa conhecida e ela disse "ah vê-se mesmo que esta é uma noiva vulgar e sem gosto e esta uma noiva com outro tipo de educação e gosto... ahh bom por acaso até é verdade.
* No casamento do meu primo aquilo mais parecia que não me eram nada, no casamento da minha amiga que são conhecidos quer os pais dela quer ela estiveram sempre preocupados em ver se estava tudo bem e se precisava de alguma coisa... ainda falam em família, deus me livre.
* Adoro quando as pessoas vão a festas e levam os dedos cheio de anéis, dass pá não escapa um dedinho, que falta de gosto.  
* Outra coisa que as pessoas não aprendem é que menos é mais, mas não continuam a enfeitar-se que nem arvores de natal.
* Ninguém abriu a boquinha a falar do casamento do primo, porque é do menino, se fosse de qualquer um dos outros primos, tinha tido defeitos por todos os lados... como eu gosto destas merdas.
* Uiii o que eu ainda tinha para escrever para aqui, mas não o vou fazer se não dizem eh pá esta gaja esta destravada hoje. 

19 de junho de 2017

"A chave para Rebecca" de Ken Follett...


"Para os alemães, é conhecido por Esfinge; para os outros, é Alex Wolff, um empresário europeu. Espião alemão, Wolff chega ao Cairo vindo do deserto. Leva consigo um rádio, um punhal e um exemplar do romance Rebecca, de Daphne du Maurier. 
Trata-se de um homem implacável, violento e disposto a tudo para levar a cabo a missão de que foi incumbido. Wolff tem de enviar a Rommel mensagens diárias, utilizando um código no referido exemplar. A campanha britânica no Norte de África está em perigo e só o major William Vandam, dos serviços secretos, e Elene, uma prostituta egípcia por quem este se apaixonou, podem travar as mensagens clandestinas de Wolff. 
À medida que as tropas de Rommel avançam, Vandam persegue Wolff em busca da chave do código secreto e do confronto final, do qual só um deles sairá vencedor, com uma história intrincada e maravilhosamente bem construída, este é um dos thrillers mais entusiasmantes de Ken Follett."


A chave para Rebecca foi um dos melhores livros que li ultimamente.
A história em si esta muito bem construída, as personagens são do melhor e aquele enredo todo deixou-me agarrada e viciada.
Tenho que admitir que muitas vezes tive vontade de mandar dois pares de estalos aquele Wolff, estava a ver que o  fulano ainda se ia safar mesmo.
Adorei a personagem e a garra do Vandam, bem como do romance que teve com Elene.
Não gostei muito da Sonja simplesmente porque detesto pessoas com excesso de mania, bem sei que é uma personagem mas não fiquei a gostar nada da fulana.
De resto adorei o livro, lê-se bem, a linguagem é simples e a história é muito entusiasmante.

17 de junho de 2017

Foi excelente...

O casamento de quinta-feira foi excelente, em todos os sentidos.
O dia esteve muito bom, a noiva ia bela, linda demais mesmo, o noivo estava muito bem disposto, a missa foi muito bonita e a quinta onde decorreu o comes e bebes é do melhor.
Em 32 anos de vida e passados, muitos e muitos casamentos, sem dúvidas nenhumas que posso afirmar que este foi o melhor de todos.
Estava tudo muito bonito e bem organizado.
Estava com medo do meu papel de dama de honor, mas além de correr bem, fiquei muito feliz por partilhar um dia tão bom com a noiva e a J. 
Não existe nada que possa apontar que não estivesse bem, pelo contrário esteve tudo muitíssimo bem, ou melhor, perfeito.
Foi um dia muito bonito e senti-me muito feliz, aliás ainda ontem aquela calma e felicidade permaneciam em mim. 
Olhando para trás até parece que foi um conto de fadas.
A esta hora vocês estão estão a pensar, "não houve nem um pontinho negativo?"... "não não existiu nenhum ponto negativo nada de nada mesmo".
Como foi perfeito e como tenho pena que os meus pais não tenham ido a este casamento. 

15 de junho de 2017

"S.W.A.T o confronto"...



No dia em que vi este filme estava mesmo, mesmo, mesmo, a precisar de ver um filme deste gênero, com muitos tiros e muita ação, pois estava triste e nervosa.
E quando me encontro assim escolho sempre ver filmes deste gênero, que é para não deprimir ainda mais.
Este filme mostra uma equipe de S.W.A.T onde o oficial principal da equipe de Los Angeles é transferido para treinar a equipe de combate ao terrorismo de Detroit.
Num dos resgates uma das reféns suicida-se e o marido decide vingar-se da morte da esposa.
Ou seja, apesar de ainda não se conhecerem bem, a equipe vai juntar-se e vai ajudar o oficial no combate à vingança que este vai sofrer.
Este filme tem um elenco muito interessante.
Entre eles destaco o Gabriel Macht... o bonzinho, Robert Patrick... o mauzão, Carly Pope... a jeitosa, Giancarlo Esposito... o chefão,  entre outros.
É um filme muito bom para quem gostar de ação.

14 de junho de 2017

Devo de ter encolhido...

É esta a conclusão a que chego depois da cena de ontem à noite.
Na segunda fui à lavandaria buscar o vestido para levar ao casamento de amanha.
Primeiro fui à costureira porque ele era muito comprido e depois como tinha uma manchinha foi para a lavandaria.
Ontem à noite resolvi experimentar e qual o meu espanto quando o vesti e o raio do vestido fica enorme, mais parece que encolhi, alias foi a minha reação assim que o vesti foi"oh diabo queres ver que estou a encolher" e naquele momento deu-me logo uma aflição danada "e agora o que é que eu faço".
É bem feita que é para eu aprender a mal cheguem as coisas as experimentar que é que se não ficar bem ter tempo de as poder ir arranjar.
O que vale é que a minha mãe é a mulher dos desenrasques e lá conseguiu por dentro puxar aqui ali e coser acola e o vestido ficou perfeito.
Estava a ver que ontem à noite que ia enfartar por causa do vestido.
Mas pronto esta tudo resolvido.
Por isso já sabem quando mandam o vestido à costureira mal o tenham em vosso poder experimentem não vá o diabo fazer como me fez a mim.
Encolhi, não existe outra justificação. 

12 de junho de 2017

Eu bem sei que esta sol...

... mas eu não sou pessoa de estar ali ao sol a torrar, logo só fico morena se o fizer e como tal é raro fazer tal coisa.
Depois eu também uso protetor solar 50+ no rosto todo o santo ano, primavera, verão, outono e inverno.
Hoje já perdi a conta ao número de pessoas que me disseram que estou muito branca, com ar de cansada.
Pois é quem diz que elas não matam mas dói é verdade, foi uma semana de hospital, mais uma cirurgia e se normalmente eu já costumo ter anemia neste momento ela ainda esta muito mais baixa, o que vale é que amanha já vou ao banco de sangue ver como é que as coisas estão. 
Agora ir para o sol, esturricar para ficar morena? Não muito obrigada.

10 de junho de 2017

"Tuscan wedding"...



Primeiro só consegui encontrar esta apresentação do filme, não encontrei em Português.
Este filme é muito engraçado, pelo menos eu gostei.
É uma comédia romântica que decorre numa luxuosa estância na Toscana, tem paisagens encantadoras. 
Nesta estância recebem vários casais e os seus convidados em belos e divertidos casamentos.
Além das paisagens lindas e dos casamentos divertidos a comida tem um aspecto fantástico.
Tem um elenco muito interessante começando pelo Jan Kooijman, Sophie Van Oers, Lieke Van Lexmond, Simone Kleinsma, Medi Noekman, Alessandro Bressanello, Ernst Daniël Smid e por aí fora.
Vale mesmo a pena verem diversão não falta.

9 de junho de 2017

O que andei a fazer esta semana...

Nada de jeito, pois fiquei mais uma vez internada.
Fui novamente operada ao braço.
Estava com muitas expectativas de que o resultado fosse bom e mais uma vez as coisas não deram certo.
Julgava eu que apos a ultima operação e seis meses de recuperação e com o pico que a "coisa" ia ao sitio mas infelizmente não deu, tivemos que encerrar este trabalho.
Agora vamos deixar cicatrizar e mais para a frente iremos tentar fazer um novo trabalho se for necessário desta vez no braço direito.
Ate lá é preciso cuidar e estimar o cateter da perna pois é o meu único meio de salvação para poder fazer os tratamento e deixar o braço recuperar lentamente.
Sinceramente nem sei o que sinto... cansaço, desilusão, tristeza, desanimo.

5 de junho de 2017

As minhas escolhas de sábado...


Este foi o vestido que escolhi para levar ao casamento de sábado, verde água é simples como eu gosto tem da cintura para cima uma espécie de renda delicada com uns brilhantes pequeninos, discreto mesmo e o decote das costa era em V mas não muito profundo, só não entendi muito bem o porque de ter escolhido comprido uma vez que eu não sou pessoas que tenha o hábito de usar vestidos e saias compridas.



O cabelo deixei ao critério da cabeleireira como sempre, ela sabe que eu gosto de coisas simples, então desta vez fez uns caracóis lá num maquineta que tem, sim o meu cabelo é ondulado mas ficou diferente, depois fez umas tranças fininhas e uniu com aqueles dois travessões só para dar um arzinho de festa, simples. 

4 de junho de 2017

"Por 13 razões" série...


Em primeiro lugar tenho que dizer que fiquei um pouco abalada com esta série, não que não soubesse que estas coisas acontecem, aliás eu tenho 32 anos, já passei por aquelas idades mas de uma forma "mais leve" não vivi aquelas idades em pleno devido aos meus problemas de saúde e as limitações que tive.
Depois eu acho que todos os pais e jovens, mas principalmente os pais deviam de ver esta série.
Isto mostra muito bem o que acontecem nas escolas, festas e dia a dia dos jovens.
Por vezes assistimos ou sabemos de coisas que acontecem e temos tendência a não dar grande importância, grande valor, a sensação que tenho é que vivemos um pouco no "deixa para lá" e acabamos por não ajudar aquela pessoa que esta a sofrer sozinha.
Nunca tive ninguém assim próximo jovem que chegasse ao limite do suicídio, conheci algumas pessoas já  com um pouco mais de idade que o fizeram e mesmo assim foi um choque, fica sempre aquela pergunta "porque?"
Isto tudo para dizer que muitas vezes o meu sobrinho traz acontecimentos da escola que fazem com que fiquemos um pouco preocupados, acho que é a palavra correta, comentamos entre nós adultos em como é possível crianças de 14 anos viverem num ambiente daqueles.
Elas tiram fotografias nuas da cintura para cima e fazem com que rodem pelas redes sociais, espezinham esta ou aquela, quer por este ou aquele motivo, ou simplesmente porque lhes apetece, mas são elas e eles que fazem estas coisas.
Interrogo-me muitas vezes, será que os pais não se apercebem destas coisas? De que os filhos fazem estas cenas, de que as miúdas se humilham umas às outras? Que com 14 anos já andaram com não sei quantos rapazes? Não vêm? Não querem ver? Ou acham estas coisas normais?
Estas coisas para mim são muito confusas, acreditem por muito esforço que faça para entender não consigo compreender a atitude de certos pais nos dias de hoje.
Teria muito para escrever sobre este assunto, mas este tema magoa-me, deixa-me triste, em lágrimas, por muito forte que queira parecer muitas vezes sou frágil e emociono-me com facilidade pois sei que existe muita gente a sofrer devido à maldade alheia.

2 de junho de 2017

Preparativos para o 1º casamento do ano...

Pois bem é já amanha o 1º casamento do ano.
Acho que já tenho tudo direitinho, não gosto nada de andar a correr na ultima da hora.
Então quarta fui pintar cabelo, porque não gosto de o pintar no dia das festas, fiz madeixas, disse à cabeleireira "faz lá o que achares que fica bem" e é lógico que a minha mãe começou logo com o "ahh oh R. faz madeixa que toda a gente lhe diz que fica tão bem" e a R. lá disse "pode ser?" e eu só respondi "força só não me deixes muitíssimo loira".
Portanto, agora é ir  amanha só lavar e pentear.
Vestido, casaco, sandálias, carteira, tudo prontinho.
As unhas dos pés também estão prontas amanha na cabeleireira pinto as das mãos.
Maquilhagem sou eu que faço, além de fazer à minha pessoa ainda tenho que fazer a minha mãe e à minha cunhada.
Hoje à noite vou ao tratamento para não ir amanha e lá vão tirara-me o pico e por um penso mais pequenino... vou ter folga do pico yeahhhhhh, só até segunda de manha mas pronto é melhor do que nada.
Vamos lá ver como corre, lógico que depois eu venho cá contar como foi.

1 de junho de 2017

Olá Junho...


Olá Junho...
Sê bem vindo...
Este ano vais ser um mês bem agitado, tenho dois casamentos, vamos lá ver como vão correr.
Hoje é o dia da criança, Deus quantas memórias do dia da criança na primária que passam no meu pensamento.
Hoje o meu pai também faz anos, 67 anos digo sempre que será a minha eterna criança por fazer anos neste dia.
De resto vamos indo e vamos vendo o que irá acontecer.
Como sempre peço ajuda-me a andar calma a ter dias bons, a sorrir, a sonhar e a ser feliz, dentro do possível.
Por isso Junho, vamos ao trabalho!!!

30 de maio de 2017

Música do dia...



Pronto é isto o costume, eu e as músicas latinas...
Eu preciso de "botar som" à minha vida... adoro a expressão "botar som" ah ah ah...

29 de maio de 2017

Facto constatado ontem...

As minhas tias andam loucas, histéricas, desnorteadas... e mais uns quantos nomes... por causa do casamento do meu primo.
Menos mal que o casamento já é no sábado, é que se demorasse mais tempo para acontecer, desconfio que elas ia parar ao Magalhães Lemos.
Nossa Senhora de Fátima parece que nunca foram a um casamento, sai-te caraça... não era esta a palavra que queria escrever mas pronto, parecia mal. 

26 de maio de 2017

Adivinhem lá...

Hoje foi dia de que?... de greve.
E quem é que se levantou super cedo para ir para o hospital?... eu.
Quem é que estava à espera de um exame?... eu.
E quem é que ficou sem fazer o exame?... eu.
Estou quase como dizem os Brasileiros, tudo eu, tudo eu... respira fundo rapariga bem fundo

25 de maio de 2017

24 de maio de 2017

"Os segredos de Gray Mountain" de John Grisham...


"Samantha Kofer tem uma promissora carreira numa grande firma de advogados de Wall Street, até que chega a recessão e ela é dispensada. Mas Samantha é uma das afortunadas. Oferecem-lhe a oportunidade de trabalhar pro bono numa organização de assistência jurídica durante um ano, ao fim do qual existe uma ligeiríssima oportunidade de ela recuperar o antigo emprego. 
Em poucos dias, Samantha sai de Manhattan para Brady, na Virgínia, 2200 pessoas como população, no coração dos Apalaches, um lugar que ela só conhece dos livros. Mattie Wyatt, responsável pela organização, está lá para a ensinar a «ajudar pessoas reais, com problemas reais». Pela primeira vez na vida, Samantha enfrenta uma sala de tribunal por dentro, é repreendida por um juiz e é alvo da desconfiança da população, que não vê com bons olhos a presença ali de uma arrogante da grande cidade. E descobre que Brady, como todas as cidades pequenas, esconde grandes segredos.
O seu novo trabalho leva-a ao mundo perigoso das minas de carvão, onde a lei é violada, os regulamentos ignorados, as comunidades divididas e a própria terra está a ser atacada pela Big Coal. A violência está ao virar da esquina e dentro de semanas Samantha dá por si num litígio que acabará por se revelar fatal…"

Esta história conta a vida de Samantha uma jovem advogada que trabalha numa firma de advogados que de um momento para o outro fica sem emprego.
Se antes Samantha tinha uma vida quer profissional, quer pessoal muito agitada de um momento para o vê-se livre de mais.
É proposto um trabalho mas em voluntariado longe de tudo o que ela estava habituada e num meio "pouco" habitado.
Fiquei a conhecer um pouco mais sobre o tema das minas de carvão, sobre as doenças provocadas pelas mesmas e sobre advogados.
Gostei da história, foi mais um exemplo de que quando a gente menos espera a nossa vida pode melhorar e muito, demonstra mais uma vez que nem sempre o dinheiro é tudo.
Achei piada o romance que a história nos conta estava à espera que a Samantha nesta parte fosse mais lamechas mas surpreendeu-me imenso as coisas terem tido o rumo que tiveram.
Também gostei do conceito de organizações sem fins lucrativos, não faço ideia se isto existe no nosso país sinceramente, mas acho que é uma ideia muito boa, porque quer queiramos ou não deve de haver muita gente com este tipo de necessidade e aqui falo mesmo da advocacia normal. 
E pronto foi uma bela história, um livro enorme mas que foi lido rapidamente pois tem uma escrita simples e fascinante. 

23 de maio de 2017

Ou corre muito bem ou vai ser uma grande barraca...

Dia 3/6 é o casamento do meu primo.
As minhas tias andam loucas, mais parece que nunca foram a um casamento.
Não entendo o porque de tanta "aflição" afinal de contas ele já mora com a fulana à 3 anos e ela já tem um filha.
Acho engraçado o meu pai a comentar as coisas só sabe dizer "nem que fosse um príncipe"... confesso que a maneira como ele o diz me provoca umas boas gargalhadas.
As minhas tias já compraram os vestido por volta de finais de Janeiro, numa aflição como se os raios dos vestidos se fossem esgotar, alias nós compramos os nossos à pouco tempo e elas antes de irmos comprar disseram logo "agora já só esta o que não presta, já esta tudo escolhido"... não devemos de andar no mesmo mundo com certeza.
Agora andam aflitas com os cabelos... não sei qual é a aflição uma vez que têm o cabelo curto tipo rapazinho, para explicar... não estou bem a ver o que poderão fazer com os cabelos mas à frente... outro stress é o que vão levar de joia uma diz que vai levar tudo fantasias a outra diz que vais levar um fio em ouro as pulseiras todas e os anéis... se for como o costume é de rir, mas a ver vamos, ah este domingo também falaram em maquilhagem e unhas de gel... ah ah ah.
Só vos tenho a dizer esta gente ainda não entendeu que menos é mais.
Vão parecer uns autênticos porta-chaves é o que é.
Uma que me tem surpreendido é a minha tia a mãe do noivo que esta sem stress nenhum, na boa como se costuma dizer.
Quanto ao correr bem ou ser barraca, eu tenho um pequeno palpite que vai haver barraca em alguma coisa, mas isto é só um palpite não é para ser levado a sério.